A imagem sempre foi importante na história do homem e podemos constatar isso nas pinturas rupestres encontradas em cavernas e vestígios de estátuas que datam milênios. O homem sempre sentiu a necessidade de manifestar, através dessas pinturas e estátuas, sua história, sua vida e sua religiosidade.

Quero apresentar a vocês, queridos leitores, informações que podem ser usadas para dirimir dúvidas que, muitas vezes, aparecem quando você é abordado e questionado sobre as imagens e a Bíblia.

O Antigo Testamento diz: “ Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelha ao que existe lá em cima nos céus, ou embaixo da terra, ou nas águas que estão debaixo da terra. Não te prostrarás diante desses deuses…”( Ex 20,4-5).

Portanto, se lermos atentamente os versículos de 1 a 7 do capítulo 20 de Êxodo, lembraremos que o povo fizera uma estátua de um bezerro para substituir Deus. Muitos deuses pagãos eram representados com figuras de animais, pessoas, monstros e outros. Além disso, os pagãos tinham aquelas imagens como se elas fossem o próprio deus.

A ordem de Deus Criador era para o seu povo não O substituir por um outro deus. Que não adorasse nem colocasse sua esperança em um deus pagão, mas somente confiasse Nele, o mesmo que o tirou da escravidão do Egito.

Deus não quis certamente proibir o uso das imagens. Tanto isto é verdade que no mesmo livro do Êxodo, Deus manda fazer imagens de querubins e manda colocá-las no lugar mais sagrado do culto divino, em cima da Arca da Aliança.( Ex 25,18-22).

Deus mandou Moisés fazer a imagem de uma serpente e rezar diante dela, quando o povo de Deus estava sendo atacado pelas serpentes no deserto, e todos que olhavam para a serpente no alto da aste ficavam curados (Nm 21,4-9). Jesus se compara a esta serpente ( Jo 3,14-15 e Sb 16,7).

Salomão construiu o templo de Jerusalém e mandou erigir duas enormes estátuas de querubins (2Cr 3,10-13). E Deus se agradou com a construção deste templo (2Cr 7,1-3). Os querubins da Arca da Aliança não eram simples adornos, lembravam a mediação secundaria dos anjos ( Hb 1,14).

Jesus, nos Evangelhos, nunca tratou do assunto imagens. Porém, o evangelista Lucas retratou o Espírito Santo como uma pomba (Lc 3,2) e línguas de fogo (At 2,3).

Amados, tudo isso que apresento a vocês, baseado nas Sagradas Escrituras, é para que tenham mais argumentos para poderem explicar a presença das imagens em nossa igreja. As imagens dos Santos são representações de pessoas que tiveram uma vida totalmente consagrada a Deus, homens e mulheres que no meio do seu povo se sobressaíram pelo amor, oração, perdão, obediência; virtudes que lhes proporcionaram a salvação. Suas imagens colocadas nas igrejas servem como exemplo de santidade que nós devemos seguir. Jesus é o nosso maior exemplo, mas ao pensarmos em Jesus quando devemos nos esforçar para ser santos, poderíamos nos achar incapazes por sabermos que ELE é Deus. Os santos, com seus exemplos, mostram que, sendo humanos, se esforçaram para corrigir suas fraquezas e limitações. Os santos não foram perfeitos, mas tentaram se aproximar ao máximo da perfeição.

2 Comments for this entry

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*